Com oito mil quilômetros de costa, o potencial brasileiro para produzir energia limpa tendo como fonte o mar desperta interesse de grupos internacionais. O CEO mundial da GDF Suez, Gerárd Mestrallet, visitou, hoje, 18/06, o estande da Coppe/UFRJ, na Rio+20, no Parque dos Atletas. O executivo foi acompanhado pelo diretor de Tecnologia e Inovação da Coppe, Segen Estefen, e conheceu de perto as 14 tecnologias apresentadas pela instituição na exposição “O Futuro Sustentável”. Duas delas contam com o apoio financeiro da Tractbel, empresa controlada pela GDF: a Usina de Ondas do Pecém e a Usina de Energia Osmótica.

A Usina do Pecém, que gera energia por meio dos movimentos das ondas, já está instalada no Ceará e insere o Brasil no seleto grupo de países que produzem energia elétrica com está tecnologia. A tecnologia pode aumentar em até 17% a capacidade total de energia elétrica instalada hoje no país utilizando como fonte as ondas da costa brasileira. Veja o vídeo da usina: http://www.coppenario20.coppe.ufrj.br/?page_id=564

O outro projeto apresentado, a Usina Osmótica, recupera a energia existente no encontro do rio com o mar, transformando em eletricidade. É mais uma das formas da chamada “energia azul”, obtida apenas da água e praticamente sem impacto ambiental.

Gérard Mestrallet também teve um encontro com o diretor da Coppe, Luiz Pinguelli Rosa. No estande da Coppe estiveram presentes ainda o presidente GDF Suez Brasil, Maurício Bahr, e o presidente da Tractebel Energia Manoel Zaroni. No evento eles lançaram a Fundação Agir Contra a Exclusão (FACE), associação já consolidada na França e na Bélgica e que escolheu o Brasil para ser o primeiro braço na América Latina.

Saiba mais sobre a usina de ondas: http://www.coppenario20.coppe.ufrj.br/?p=805