O Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas (PBMC) foi instituído em 2009, pelos ministérios do Meio Ambiente e da Ciência, Tecnologia e Inovação, por sugestão de Suzana Kahn Ribeiro, professora da Coppe que à época ocupava a Secretaria Nacional de Mudanças Climáticas do Ministério do Meio Ambiente. O painel nacional reúne 250 especialistas de universidades e institutos de pesquisa de todo o país.  É presidido por Carlos Nobre, do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE), e Suzana é a presidente do seu Comitê Científico.

Sediado na Coppe/UFRJ, no Rio de Janeiro, o PBMC funciona nos moldes do International Panel on Climate Change, o IPCC da ONU, que reúne cientistas do mundo inteiro para produzir relatórios periódicos compilando a evolução dos conhecimentos científicos sobre a variabilidade e as mudanças no clima global.

“A função do PBMC é dar suporte científico aos órgãos encarregados de formular políticas e tomar decisão”, explica Suzana. Num tema controverso e sujeito a incertezas, como são as mudanças climáticas e o papel das atividades humanas no aquecimento global, o PBMC é o mecanismo para auscultar a comunidade científica envolvida no assunto e formular consenso – um modo de garantir mais confiabilidade às conclusões.

Após a conclusão do primeiro Relatório do PBMC, com a publicação do segundo e terceiro volumes previstos para outubro, o Painel iniciará uma segunda fase de trabalhos, com a produção de dois relatórios especiais: uma metodologia de contabilização de gases de efeito estufa e um relatório sobre redução de impactos de desastres ambientais. Os dois documentos deverão estar concluídos até 2013. Maiores informações disponíveis em: www.pbmc.coppe.ufrj.br