comentário 1

Um dos destaques da participação da Coppe/UFRJ na  Rio+20 foi, sem dúvida, a exposição multimídia montada no estande do Parque dos Atletas, que encantou os visitantes. De forma interativa e em uma linguagem acessível, foram apresentados  14 projetos de alta tecnologia, que podem contribuir para um futuro mais sustentável. Segundo a organização do Parque, desde a abertura dos portões, dia 13 de junho, até o encerramento, dia 24, cerca de 140 mil pessoas visitaram os diversos estandes montados no local.

Veja algumas das impressões e opiniões dos visitantes sobre a exposição “O Futuro Sustentável – Tecnologia e inovação para uma economia verde e a erradicação da pobreza”:

 

“Achei maravilhoso, a cana de açúcar vira concreto, a garrafa pet se transforma em tecido – a gente chega a conclusão de que tudo vira tudo. Me dá vontade de fazer faculdade de novo.”

Rosana de Andrade, dentista

 

 “Como admirador da Coppe, sei que o trabalho é muito bem feito. Está muito bem montado, e os explicadores cumprem muito bem sua função.”

Francisco Eduardo de Carvalho Siqueira, engenheiro mecânico

 

“Surpreendente o nível de tecnologia e conhecimento disponibilizado.”

Bianka Camina – microempresária

 

“A exposição está muito bem feita, com riqueza de informações. Achei muito interessante a usina que gera energia através das ondas.”

Vitor Palomo, estudante

 

“Estou fascinada. Parabenizo a Coppe por ter centro de pesquisa de referência mundial. Trabalho com projeto com jovens e acho que eles tem que ter acesso à este conhecimento. Estou orgulhosa.”

Paula Kalec, psicóloga

 

“A exposição está maravilhosa. E é muito bom que está pertinho de nós, no Rio de Janeiro. A parte de mar de vocês é incrível.”

Marcelo Gonçalves, biólogo e administrador da Aldeia Curumim

 

“Achei nota dez. Pesquisa bem fundamentada, representando bem o Rio e o Brasil.”

Clarisse Brites, química industrial

 

“Muito linda, a sala grande com barulhinho do mar, parece que a gente está vivenciando todo o projeto, e pudemos conhecer toda a parte técnica e mecânica.”

Silvia Gravina, secretária

 

“Achamos muito bem montada, o aspecto visual, a disponibilidade das informações, estão claras.”

Lizandra Prado, engenheira civil

 

“Adorei, principalmente a parte em que a gente se sente no fundo do mar.”

Tamires Silva, estudante

 

“Gostei do trem que flutua para diminuir o trânsito sem gastar energia.”

Vinícius Rezende, estudante

 

“Estou maravilhado com várias coisas: a reciclagem, o trem, o oceano. Mandei minha esposa trazer minha filha, porque está voltado para o estudante de hoje.”

Valter Botelho, coordenador de equipe de segurança

 

“A exposição está muito bonita e é interessante para as crianças que estão na escola. A parte que parece que a gente está no mar é muito boa.”

Rosângela Fernandes, assistente executiva

 

“Achei bem legal, principalmente aquela questão do cimento. Nunca imaginei que existisse aquilo ali.”

Sidney Correia, motorista

 

“É 100% inovação. Está impressionante”

Roberta Teixeira, engenheira

 

“A exposição está bastante instrutiva. É bom as pessoas estarem mais atentas ao que as cerca. O desenvolvimento sustentável, a geração de energia, o ônibus a hidrogênio. As pessoas viram as reuniões da Rio+20 na TV e acham que não tem muita coisa sendo feita. Mas tem, e tem que ser divulgado. Estão de parabéns.”

Alessandro Fadel, estudante

 

“Me surpreendi porque não achei que fosse encontrar todas essas coisas. Vocês estão fazendo um trabalho muito interessante, as maquetes dão ideia do que está sendo feito. Devia ser mais divulgado. Moro aqui no Rio e poucas vezes vi falarem tão bem. Devia ser levado para as escolas de alguma maneira. As crianças tem que saber disso, pois eles é que vão continuar. A criança crescer com essa noção é importante demais.”

Denise Pereira de Souza, funcionária pública

 

“Achei bem legal a ideia do MagLev. Seria importante ter alguém para investir nisso e levar para frente. É tecnologia avançada, 100% brasileira.”

Marcos Vinicius Abreu dos Santos, estudante

 

“Gostei, já conheço o trabalho da UFRJ. A universidade tem que oferecer alternativas para os problemas que estão surgindo na sociedade.”

Renato Landim, intérprete de Libras

 

“Achei a exposição interessante, bastante diversificada. Quem não tem conhecimento na área técnica consegue compreender. A gente fica feliz em ver que nosso país pode colaborar bastante com o nível de vida no planeta.”

André Arraes, engenheiro

 

“Não sabia que podia transformar plástico em tecido. Essa foi a parte que minha filha gostou mais.”

Eloisa Meira, dona de casa, acompanhada da filha Amanda Meira do Anjos, de 5 anos

 

“Destacaria a parte de transportes, o MagLev, porque está todo mundo interessado em melhorar o transporte.”

Leonardo Rettore, médico

Uma ideia sobre “Público comenta exposição da Coppe na Rio+20

  1. Fiquei tentado a ler o livro para melohr entender algumas ide9ias. Talvez, vocea possa me ajudar, mais uma vez.A respeito do aque1rio, por exemplo. Se tudo o que, de fato, existe e9 criae7e3o nossa, inclusive a Cieancia, nada pode existir do lado de fora dele, ou seja, nada pode existir que ne3o conhee7amos, que ne3o fae7a parte da realidade.Vejo duas consequeancias para esse raciocednio: Se nada existe fora da realidade do nosso aque1rio, ne3o he1 possibilidade de conhecermos nada de novo, porque estaredamos falando em DESCOBRIR o que ne3o existe. Nesse caso, os novos conhecimentos desmentem a teoria, na medida que surgem e, inclusive, aumentam o nosso aque1rio.A segunda consequeancia seria crer que todo o conhecimento, invariavelmente e9 construeddo e ne3o descoberto. Nesse caso sim, a Cieancia e9 uma criae7e3o. Essa hipf3tese tambe9m me parece absurda, je1 que a despeito de nosso conhecimento as leis naturais sempre funcionaram. A e1gua ne3o passou a hidratar sf3 porque criamos que ela hidrata . Ela sempre hidratou. Se amanhe3 aprofundarmo-nos na composie7e3o da e1gua, as novas criae7f5es ne3o invalidare3o toda ae7e3o que a e1gua provoca. No me1ximo, entenderemos melohr a ae7e3o que pouco conhecedamos. Assim se fazem as leis universais que, mesmo desconhecidas por nf3s, existem e regulam a vida em variadas manifestae7f5es. A vida ne3o existe porquea a Cieancia a criou.Adotar uma possibilidade dualista tambe9m me parece impreciso. Se dissermos que as Cieancias Naturais descobrem e as demais constroem, je1 invalidamos a ide9ia de que tudo que existe e9 criae7e3o nossa .Nas minhas atuais limitae7f5es, o que consigo projetar e9:a) Existem leis universais que je1 existiam antes dos nossos esfore7os mentais. A Cieancia, timidamente, interpreta de maneira correta ou equivocada os efeitos dessa lei.b) Nf3s co-criamos novas causas e efeitos, seja de maneira intencional, seja de maneira inconsciente e inconsequente.c) O nosso pensamento constrf3i representae7f5es do mundo sim, mas a partir de impressf5es de coisas que existem, mesmo que a gente ne3o as conhee7a e de outras coisas que acreditamos exisitr.Conto com a compreense3o dos que consigam enxergar esse cene1rio de maneira mais ampla do que eu.Forte abrae7o!

Deixe um Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado.
Campos obrigatórios estão marcados com *.

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>